Compreendendo o Bitcoin: um guia para iniciantes

Última Atualização: 2 junho 2024

Bitcoin, o ativo digital pioneiro, introduz uma inovação única nos sistemas financeiros em todo o mundo. Ao contrário das moedas convencionais reguladas por autoridades centrais, como governos ou bancos de reserva, o Bitcoin opera como um sistema de pagamento descentralizado e ponto a ponto. Nosso Série Básica do Bitcoin mergulha no mundo do Bitcoin tanto para iniciantes quanto para entusiastas.

A singularidade da infraestrutura do Bitcoin

Com o Bitcoin, os detalhes de cada transação são registrados e verificados em um livro público conhecido como Blockchain. As cópias deste livro-razão existem em vários computadores em todo o mundo, garantindo transparência. Criptomoedas como o Bitcoin permitem que os usuários negociem unidades de moeda digital diretamente entre si ou por meio de trocas facilitadas usando moedas convencionais.

O blockchain, embora registre todas as transações, não revela as identidades dos envolvidos. Os dados das partes são substituídos por uma série de caracteres alfanuméricos, mantendo um nível de anonimato.

Mineração de Bitcoin: a espinha dorsal das transações de Bitcoin

A mineração funciona como base para manter a autenticidade das transações Bitcoin. Bitcoin miners são usuários com computadores poderosos em todo o mundo que assumem a tarefa de validar transações no Blockchain. Eles fazem isso resolvendo problemas matemáticos complicados e, como recompensa, recebem bitcoins ao completar um ‘Bloco’. Garantindo a continuidade do fornecimento de Bitcoin, o processo de mineração introduz novos Bitcoins em circulação. Ele mantém um limite, permitindo que apenas um total de 21 milhões de bitcoins estejam em circulação.

As inspirações e os primórdios do Bitcoin

A semente do Bitcoin está no movimento ‘cypherpunk’ do início dos anos 1990. Esta comunidade online consistia em entusiastas que faziam brainstorming sobre uma variedade de tópicos, desde matemática até criptografia e política. A crença libertária partilhada defendia uma interferência mínima do governo e sublinhava uma privacidade e encriptação online mais fortes.

Projetado pelo pseudônimo 'Satoshi Nakamoto', o Bitcoin desenvolve ideias do movimento cypherpunk, fundindo-as com criptografia e provas matemáticas para criar um sistema monetário descentralizado. A rede Bitcoin foi estabelecida com a mineração do primeiro bloco de bitcoins (conhecido como bloco ‘gênese’) por Satoshi Nakamoto. Este primeiro bloco gerou 50 bitcoins.

Problema direcionado: objetivo de criação do Bitcoin

O Bitcoin foi concebido para ser uma alternativa ao sistema financeiro existente. É um sistema de pagamento eletrônico baseado em provas matemáticas que propõe taxas de transação mais baratas e evita a necessidade de uma autoridade central.

O Bitcoin aborda uma questão fundamental da natureza da moeda ao longo da história. Tradicionalmente, a moeda tem três funções – uma reserva de valor (mantendo o valor ao longo do tempo), um mecanismo de troca (facilitando a transferência fácil de valor) e uma unidade de conta (fornecendo uma medida comum do valor dos bens). O Bitcoin tenta superar as desvantagens associadas aos sistemas convencionais.

Além do sistema bancário convencional: o fascínio do Bitcoin

O Bitcoin incorpora várias qualidades que o tornam extremamente atraente como moeda digital:

  • É durável (garantindo longevidade)
  • Pode ser facilmente transferido (permitindo conveniência)
  • É trocável por bens e serviços (promovendo aceitabilidade)
  • Garante igualdade entre unidades (é fungível)
  • Tem uma oferta limitada e é difícil de falsificar (garantindo a escassez)
  • Pode ser subdividido em unidades menores (afirmando a divisibilidade)

Graças ao seu limite matematicamente garantido de 21 milhões de bitcoins, o Bitcoin é considerado uma moeda deflacionária. Este facto, aliado à sua natureza descentralizada, faz do Bitcoin uma alternativa superior ao sistema bancário tradicional.

Descubra mais sobre como funciona o Bitcoin na próxima parte do nosso Série Básica do Bitcoin.

Autor
  • Lucas Handt

    Luke Handt é um investidor e consultor experiente em criptomoedas, com mais de 7 anos de experiência no espaço de blockchain e ativos digitais. Sua paixão pelas criptomoedas começou enquanto estudava ciência da computação e economia na Universidade de Stanford, no início de 2010.

    Desde 2016, Luke tem sido um negociante ativo de criptomoedas, investindo estrategicamente em moedas importantes, bem como em altcoins emergentes. Ele tem conhecimento sobre estratégias avançadas de negociação de criptografia, análise de mercado e as nuances dos protocolos blockchain.

    Além de gerenciar seu próprio portfólio de criptografia, Luke compartilha sua experiência com outras pessoas como redator e analista de criptografia para as principais publicações financeiras. Ele gosta de educar os comerciantes de varejo sobre ativos digitais e é uma voz procurada em conferências de fintech em todo o mundo.

    Quando não está preso a tabelas de preços ou pesquisando novos projetos promissores, Luke gosta de surfar, viajar e beber bons vinhos. Atualmente, ele reside em Newport Beach, Califórnia, onde continua acompanhando de perto os mercados de criptomoedas e se conectando com outros líderes do setor.